Por que as startups estão ganhando o mundo?

Novas empresas surgem todos os dias. Mas então, o que há de diferente nas startups e por que elas estão ganhando o mundo? Segundo o relatório divulgado pela agência de pesquisa McKinsey em 2019, o Brasil já tem mais de 10 mil startups. E além disso, também foram responsáveis pela criação de 30 mil vagas de emprego em todo o país.

Este modelo de empresa veio para ficar, juntando inovação tecnológica e ideias originais. O principal significado do termo startup é um novo modelo de negócio que seja escalável, repetível e inovador. É um modelo atual que criou um novo mercado, com oferta de produtos e serviços mais eficientes e modernos.

Com a tecnologia, essas empresas visam a otimização de processos e a redução de custos. Sua estrutura é mais dinâmica, visando sempre a escalada futura. As startups acabam trazendo ao consumidor novidades que antes não eram opções no mercado. Continue lendo para descobrir as suas principais características!

Empresas tradicionais x startups

Startups são desenhadas, desde o seu princípio, para se expandirem ao exterior. É uma nova cultura de empreendedorismo brasileiro, que tradicionalmente olhava apenas para o mercado nacional, principalmente por causa de sua extensão.

Por mais que alguns pensem que essas empresas são controladas somente por jovens, com a ausência de burocracias e muita flexibilidade, as startups são desenhadas para crescer rapidamente e preferem cortar custos desnecessários no caminho.

A grande diferença entre elas e as empresas tradicionais é principalmente a velocidade com que inovação tecnológica ocorre. As startups utilizam a tecnologia como base de todos os seus processos, o que proporciona eficiência e maior produtividade. Mais a metodologia de idealizar, desenvolver, homologar e validar. Gerando assim uma agilidade na criação de soluções e processos que as tornam velocistas naturais dentro do mercado corporativo.

É fato que o planeta está todo conectado pela tecnologia, por isto no mundo dos negócios não é diferente. Ela só traz pontos positivos para a expandir sua empresa. E o timing correto permite uma vantagem competitiva, e muitas vezes, vital.

Outras características são a escalabilidade e a replicabilidade. Quando falamos em escalabilidade, as startups nascem com o potencial de crescimento sem que a empresa precise se adaptar ou alterar seu modelo de negócio. A replicabilidade tem a ver com a capacidade de aumentar sua produção sem alterar o serviço prestado. Essas características juntas fazem com que a startup tenha altas chances de expandir os seus negócios para o exterior.

O conceito por trás: Fail Fast

Fail fast, ou falhe rápido – em português – pode a princípio gerar certas incertezas e até uma certa incoerência. Porém, sua aplicabilidade não poderia ser mais acurada.

De vários anos para cá o conceito de sprints e metodologias agile ganharam o mundo, e o que os empreendedores do futuro aprenderam com esse processo? A empresa não pode se dar ao luxo de investir muito, seja dinheiro ou tempo, em nada que seja incerto. Se uma empresa tradicional e estabilizada no mercado precisa tomar cuidado, o que dirá startups que estão apenas começando e possuem recursos limitados?

A resposta, é o conceito de Fail Fast, Learn Faster. Quanto antes descobrirmos as falhas dos nossos processos e melhorias que nosso produto possa receber, menos custoso será para a organização realizar as mudanças necessárias e obter sucesso.

Portanto, repetimos a fórmula que falamos agora a pouco: Idealize, Desenvolva, Homologue e Valide. Dessa forma, o quanto antes conseguir passar pelo ciclo completo, mais rápido a empresa estará pronta para se lançar ao mercado.

Outra leitura que ajuda a ampliar bastante este tipo de conceito é o Design Thinking, mas falaremos dele em uma outra ocasião.

As startups que ganham destaque no mercado dominam esta metodologia. Com isso geram uma enorme quantidade de protótipos, e em pouco tempo descobrem o melhor caminho para a oferecer sua solução no mercado. E as que realmente aplicam isso, em breve se tornam os famosos unicórnios.

O que são os unicórnios?

Palavra comum no universo das startups, o termo ‘unicórnio’ significa que o valor de uma startup ultrapassou a marca de um bilhão de dólares. Muitas empresas que conhecemos já são consideradas unicórnios, como é o caso do Facebook e da Uber.

Pensando no Brasil de 2020, temos 11 unicórnios. Em 2019, o número cresceu em 6 empresas. Em comparação com o exterior, o número é pequeno, mas é possível que em alguns anos ele aumente drasticamente. Entre as mais conhecidas temos a Nubank, Pipefy, Loggi, entre outras. O maior número de unicórnios é da China.


Assim como o número de startups está crescendo, o número das que conquistam o título de “unicórnio” só tende a aumentar. Com isso, o número de aceleradoras e incubadoras de startups também cresce cada vez mais.

Leituras interessantes sobre o tema:
A Startup Enxuta – Eric Ries
Fail Fast, Fail Often – Ryan Babineaux e John Krumboltz
Como a filosofia das startups pode beneficiar a educação empreendedora – Sebrae
Afinal o que é uma Startup? – Startse

O que achou do artigo? Comente o que você pensa sobre as startups!

Marketing

Criada em 2016, a equipe de marketing da Online Applications produz conteúdos para os blogs Onbusca e OnlineApp. A equipe é formada por Daniel Peres (coordenador), Gustavo Fernandes e Ruth Silva (design), Larissa Silva e Livia Silva (produção de conteúdo) e Nathalia Andrade (análise de dados).

Share
Marketing

Criada em 2016, a equipe de marketing da Online Applications produz conteúdos para os blogs Onbusca e OnlineApp. A equipe é formada por Daniel Peres (coordenador), Gustavo Fernandes e Ruth Silva (design), Larissa Silva e Livia Silva (produção de conteúdo) e Nathalia Andrade (análise de dados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *