Mitos do TI: Você conhece as 5 lendas da tecnologia da informação?

Desde crianças, as pessoas ao nosso redor costumam perguntar: “o que você quer ser quando crescer?”. No começo da vida, as respostas não costumam ser questionadas. A fim de evitar uma possível frustração no pequeno sonhador. Depois de um tempo, começam a surgir crenças limitantes acerca de uma área ou profissão. Quem nunca ouviu, por exemplo, que “X profissão ‘não dá dinheiro”? A verdade é que existem muitos boatos sobre, possivelmente, todas as profissões existentes – e estes podem surgir tanto de pessoas de fora, quanto das que atuam no ramo. Assim como existem muitos mitos da TI.

E realmente não poderia ser diferente com a área da Tecnologia da Informação. Uma das áreas que mais demonstrou crescimento nos últimos anos, e ainda experimentou de uma busca significativa durante a pandemia da covid-19, também possui os seus mitos. Estes podem surgir em todos os lugares, inclusive de professores de cursos de T.I. com anos de experiência, a fim de fazer uma brincadeira no primeiro dia de aula.

Por sermos uma empresa de tecnologia voltada à transformação digital, a Online Applications conta com um time de especialistas na área da informática. Nossos programadores com muita experiência de mercado já ouviram vários destes mitos sobre a área. Vamos mostrar alguns deles para você!

Confira agora quais são os mitos da T.I. mais comuns que todo dev já ouviu, ao menos uma vez na vida:

Mitos da TI: A lenda do “Hello, World!”

Esta lenda é muito comum ser contada por professores de cursos técnicos em informática. Caso você já esteja na área, provavelmente deve ter escutado esta história. Caso contrário, pode ser que ainda ouvirá este mito pelos corredores da instituição.

Reza a lenda de que o programador iniciante que não fizer em seu primeiro código um simples “Hello, World!”, não conseguirá entender sobre programação. E, consequentemente, será um profissional ruim.

Todavia, é claro que isso é uma história em tom de brincadeira, que os professores costumam contar para quebrar o gelo com seus alunos e introduzi-los na programação. Isto porque o código de “Hello, World!” é muito simples e básico de se escrever. Afinal, ele apenas faz surgir esta mensagem na tela do computador. De qualquer forma, ele é ótimo para iniciantes programarem seu primeiro código e dizer o seu “Olá” para o mundo que estão ingressando.

Limite de linguagens de programação?

Outro mito de T.I. que circulava pelos corredores da faculdade, segundo relatos, é sobre a possibilidade de se aprender até duas linguagens de programação. Uma terceira seria algo impossível.

É claro que isso não é uma verdade. Qualquer pessoa pode aprender quantas linguagens de programação ela estiver disposta e empenhada a conhecer. Ou seja, não existe nenhuma comprovação científica de que há um limite para quaisquer aprendizados, o que torna o cérebro humano capaz de muitas coisas. Mas então por que esse mito existe?

Cada linguagem de programação possui as suas particularidades, formas de se escrever e códigos diferentes para desempenhar uma mesma função. Além da diferença de layout que cada uma carrega. Sendo assim, três linguagens de programação carregam consigo uma carga de conteúdo muito alta e desafiadora de aprendizado. Mas não impossível.

T.I. “é profissão de homem”?

Este mito é errado em diversos sentidos. Quem acredita nisso sequer deve conhecer a história da programação.

Você sabia que o primeiro algoritmo da história a ser processado por uma máquina foi escrito por uma mulher? Ada Lovelace e outras grandes mulheres mudaram o mundo e fizeram história na área da informática.

Embora exista esse protagonismo feminino na área, o número de mulheres atuando no mercado de T.I. ainda é bastante inferior ao de homens. De acordo com o artigo divulgado pela Época Negócios, apenas 20% dos profissionais da área são do sexo feminino. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, do IBGE.

Diante de um mercado majoritariamente masculino, é comum que as pessoas pensem em inverdades que carregam consigo problemáticas. Determinadas carreiras costumam ter, sim, diferenças estatísticas em quantidade de profissionais de cada um dos sexos. Isso não significa que aquela área não seja para um determinado público. E pelo contrário: todos podem exercer a profissão que desejarem, basta ter força de vontade para tal.

Felizmente, com o passar dos anos, esses pensamentos estão sendo desconstruídos, e esperamos cada vez mais uma crescente de mulheres na liderança e no mercado de T.I.

Os profissionais da T.I. têm dificuldade em comunicação?

Já foi visto anteriormente que generalizações não são legais, e muitas vezes nem condizem com a realidade. Este mito é mais um exemplo disso.

Ou seja, muitos rótulos são criados. Sejam sobre profissões ou pessoas que atuam em cada uma. A dificuldade em comunicação, durante muito tempo, foi atribuída aos profissionais de programação de maneira incoerente.

Cada pessoa carrega traços de personalidade diferentes. E, infelizmente, estes traços são utilizados para generalizar um grupo. Assim, atribuíram uma “dificuldade em comunicação” ao grupo da tecnologia da informação.

Qual o motivo disso? Não se sabe. Talvez por conta de uma ideia limitada de que esses profissionais lidam muito com máquinas e códigos?

Independente de quais sejam os motivos que levaram a criação deste mito, a boa comunicação é uma habilidade interpessoal que se encontra no conceito de soft skills no mundo corporativo. Você não precisa nascer com ela, mas pode desenvolvê-la ao longo do tempo.

De qualquer forma, a ideia de que os profissionais de T.I. possuem dificuldade em comunicação deve ser extinta.

Devs são movidos a café?

Este é um dos pensamentos que surgem principalmente a partir de memes e piadas que encontramos pela internet. É claro que ninguém é movido a café!

Isto porque nenhum profissional é uma máquina fazendo parte de uma linha de produção, devendo operar com grande produtividade e por incontáveis horas – necessitando, assim, de um combustível para manter o ritmo.

Mas, não se pode negar que um cafezinho cai bem para despertar no horário de trabalho. Ou ainda para espairecer a mente e se acalmar quando surge algum bug ou erro de código – e quem sabe até para encontrar aquele “;” faltando no final de alguma linha.


Estes foram alguns dos mitos da T.I. que costumamos ouvir por aí. Muitos deles podem ser brincadeiras e piadas internas criadas a fim de descontrair o ambiente e tornar a área um pouco mais divertida.

Por fim, o mais importante é não fazer destes uma crença limitante e que pode vir a ser problemática e até mesmo ofensiva para o pessoal da área de tecnologia da informação (e também de qualquer outra).

Mas e você? Já ouviu algum mito da T.I. circulando pela rede? Conta pra gente nos comentários!

Marketing

Criada em 2016, a equipe de marketing da Online Applications produz conteúdos para os blogs Onbusca e OnlineApp. A equipe é formada por Daniel Peres (coordenador), Gustavo Fernandes e Ruth Silva (design), Larissa Silva e Livia Silva (produção de conteúdo) e Giovanna Concon (análise de redes sociais).

Share
Marketing

Criada em 2016, a equipe de marketing da Online Applications produz conteúdos para os blogs Onbusca e OnlineApp. A equipe é formada por Daniel Peres (coordenador), Gustavo Fernandes e Ruth Silva (design), Larissa Silva e Livia Silva (produção de conteúdo) e Giovanna Concon (análise de redes sociais).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *