Edge Computing: o que a nova tecnologia tem a oferecer?

Com a transformação digital, diversas novas tecnologias foram criadas para facilitar nossas. Uma delas é o Edge Computing.

Segundo o relatório Economia Móvel de 2019, criado pela empresa GSMA, 5,1 bilhões de pessoas utilizam aparelhos celulares. Ou seja, isso equivale a 67% da população mundial.

E no Brasil? Dados do mesmo ano mostraram que no país existe cerca de dois dispositivos digitais por habitantes. E destacando somente os smartphones, no Brasil há 230 milhões de celulares ativos.

Os números citados são da 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas. Desenvolvida pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP).

Nesse meio tempo, este número só deve ter aumentado drasticamente, considerando que os dados são de 2019.

Com o alto número de pessoas utilizando a internet no Brasil e no mundo, é necessário que os dados sejam processados de forma mais rápida. É aí que o Edge Computing entra.

Neste artigo vamos te ensinar o que significa o termo Edge Computing e sua relação com a Internet das Coisas (IoT). Além de mostrar como ele se aplica em nosso dia a dia e pontos positivos. Continue lendo!

O que é Edge Computing?

Primeiramente, vamos falar do Edge Computing. Em tradução livre, o termo significa computação de borda. E como dito anteriormente, tem a ver com a otimização no processamento de dados no uso de dispositivos.

Em resumo, o termo significa uma rede de micro data centers, para quem entende uma linguagem mais técnica. Ou seja, a finalidade é processar uma série de dados de forma local, ao invés de armazená-los em nuvem.

E como sabemos, hoje há uma série de dados nos circulando. Assim, o Edge Computing descobre quais deles podem ser armazenados no local. Ou enviados para a nuvem.

IoT: Internet das Coisas

Primeiramente, você sabe o que é IoT?

A Internet das Coisas (IoT) tem relação direta com o Edge Computing. Em resumo, ela pode ser classificada como a capacidade de um objeto se relacionar com outros e com o meio.

Ou seja, eles se conectam quando um objeto físico possui um software integrado para transmitir informações. Essa conexão permite a troca de informações e molda o IoT. Por exemplo, smartphones, computadores, máquinas e até carros se enquadram nesta característica.

Porém, qual a sua relação com o Edge Computing? É simples: ele pode ser implementado em processos do IoT. Isso buscando melhorar a eficiência dos sistemas.

Por exemplo, vamos pensar em jogos online para multijogadores. A computação de borda, neste caso, ajuda a diminuir atrasos no jogo. Aliás, o que você sabe sobre mídias imersivas e universo de games? Realidade virtual e realidade aumentada? Temos um artigo especialmente sobre o tema!

Pontos positivos do Edge Computing

A indústria 4.0 fez com que diversas mudanças na tecnologia fossem possíveis. Assim como o aumento a eficiência na realização de tarefas, otimização de muitos processos, maior segurança de dados e também um maior controle no processo produtivo.

Assim como no caso da computação de borda, existe uma série de benefícios que podem ser analisados. Preparamos uma lista com os principais pontos positivos da tecnologia, veja:

  • Integração entre dispositivos;
  • Decisões mais rápidas;
  • Envio de informações em longas distâncias;
  • Diminuição de custos de armazenamento de dados;
  • Respostas mais rápidas entre dispositivos.

Em conclusão, o Edge Computing vem sendo aplicado em diversos dispositivos que buscam uma otimização no processamento de dados. Com o aumento do uso de máquinas na atualidade, e popularização do IoT, a tecnologia vem crescendo.

Por fim, o que achou do Edge Computing? Entendeu como funciona o tema? Encontre mais artigos sobre tecnologia e inovação em nosso blog!

Marketing

Criada em 2016, a equipe de marketing da Online Applications produz conteúdos para os blogs Onbusca e OnlineApp. A equipe é formada por Daniel Peres (coordenador), Gustavo Fernandes e Ruth Silva (design), Larissa Silva e Livia Silva (produção de conteúdo) e Giovanna Concon (análise de redes sociais).

Share
Marketing

Criada em 2016, a equipe de marketing da Online Applications produz conteúdos para os blogs Onbusca e OnlineApp. A equipe é formada por Daniel Peres (coordenador), Gustavo Fernandes e Ruth Silva (design), Larissa Silva e Livia Silva (produção de conteúdo) e Giovanna Concon (análise de redes sociais).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *